Início > Boas Praticas > Em Maringá, o programa “Visão de Liberdade” visa à reintegração de detentos

Em Maringá, o programa “Visão de Liberdade” visa à reintegração de detentos

Maringá

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
PR
CC por Ademir Kimura
Por meio da parceria entre diversas secretarias e instituições, presos estão produzindo livros em “Braille”, material pedagógico em Relevo e “Livros Falados” que são distribuídos em escolas da rede pública de 123 municípios atendidos pelo CAP- Centro de Apoio Pedagógico às Pessoas com deficiência Visual.

Descrição

O Projeto ”Visão de Liberdade” teve início em 2004 no município de Maringá, no Paraná. A proposta é contribuir para a recuperação e reintegração social de detentos por meio do trabalho em benefício de deficientes visuais, com a produção de materiais didáticos específicos para a inclusão deste público. Com isso, além de sentirem-se úteis, os presos ainda conseguem privilégios para a reinserção na sociedade. "Visão de Liberdade" é uma iniciativa  do governo do estadual do Paraná representado pela Secretaria do Estado de Justiça e da Cidadania (SEJU) e Secretaria de Estado da Educação (SEED), desenvolvido dentro da Penitenciária Estadual de Maringá [A1] e surgiu da necessidade do Centro de Apoio Pedagógico (CAP) produzir material para a alfabetização de deficientes visuais. 

Os trabalhos realizados pelos presos beneficiam os deficientes visuais atendidos pelo CAP Maringá. Os detentos confeccionam livros em braille, digitalizam livros paradidáticos e gravam em CDs histórias para os alunos cegos, o que possibilita a eles o acesso a diversas literaturas e à inclusão no ensino. O material confeccionado é distribuído para 119 municípios atendidos pelo CAP e já foram encaminhados para 104 entidades em 25 estados do Brasil e também para a Biblioteca Nacional de Lisboa/Portugal. Atualmente, o programa atende diretamente 454 alunos dos ensinos fundamental e médio. Desde a implantação já foram confeccionados cerca de 60 mil unidades de material – 58,5 mil trabalhos didáticos em relevo, 379 livros e 48 apostilas em braile, além de 118 livros e 16 apostilas faladas, com 150 cópias cada, enviados para diversas unidades de ensino especial no Brasil.

Por meio deste trabalho, os presos têm a oportunidade de praticar cidadania e buscar a reinserção na sociedade de maneira mais confiante. Além disso, os internos que participam do projeto passam a receber o benefício de remição da pena o qual três dias trabalhados reduz um dia na pena e também passam a receber R$30 por mês. Há de ressaltar, ainda, a possibilidade dos presos de terem acesso ao conhecimento e à cultura. Quem trabalha no setor dos livros falados ou na digitação em braille, por exemplo, tem a oportunidade de ler dezenas de livros e, por meio do conhecimento, transportar-se para além da cela, ao mesmo tempo em que gravam as obras para os deficientes visuais.

Metodologia

Os detentos envolvidos no projeto se dividem em três grupos para a produção do material:

Produção do livro falado;
Produção do livro em alto relevo - mapas, desenhos - para que os alunos conheçam o mundo com as mãos;
Digitação para os livros em braille.

Objetivos

- Ressocialização dos detentos, por meio da qualificação profissional e humanização;

- Inclusão social dos deficientes visuais, que, sem esses materiais, teriam dificuldades na aprendizagem.

Cronograma

2004- Início do projeto por meio do Termo de Cooperação Nº 046/2004 - SEJU/DEPEN e SEED;

2010- Ampliação do projeto por meio do apoio da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (Anabb) que repassou R$ 30 mil. Isso permitirá dobrar a produção atual de 150 livros por mês;

2011 – Construção de um novo estúdio de gravação viabilizado pelos recursos obtidos com a conquista de um prêmio.

Resultados

- Atualmente, o programa atende diretamente 454 alunos dos ensinos fundamental e médio. Desde a implantação já foram confeccionados cerca de 60 mil unidades de material – 58,5 mil trabalhos didáticos em relevo, 379 livros e 48 apostilas em braile, além de 118 livros e 16 apostilas faladas, com 150 cópias cada;

- O material confeccionado é distribuído para 119 municípios atendidos pelo CAP e já foram encaminhados para 104 entidades em 25 estados do Brasil - Material encaminhado para a Biblioteca Nacional de Lisboa/Portugal;

2011- Conquistou duas premiações, com benefício total de R$ 80 mil: Prêmio Cidadania Herbert de Souza da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil e Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social;

2013 - É um dos 60 finalistas da 5° edição do Prêmio Objetivos do Milênio Brasil.

Instituições envolvidas

Secretaria do Estado de Justiça e da Cidadania-SEJU

Departamento Penitenciário Do Estado- DEPEN

Secretaria de Estado da Educação – SEED

Centro de Apoio Pedagógico – CAP/Maringá – PR

Conselho Comunitário de Segurança - CONSEG – Maringá

Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil - ANABB

Rotary Internacional de Maringá

Receita Federal

Associação Maringaense dos Amigos do Centro de Apoio Pedagógico - AMACAP

Nobel Sistema de Ensino

Núcleo Regional de Educação e Gráfica Regente.

Contatos

Penitenciária Estadual de Maringá - PEM

Fone: (44) 3293-9200
Fax: (44) 3293-9201/3293-9235
E-mail: [email protected]

CAP-Maringá

fone/fax: 44-3218-7110

Fontes

http://www.youtube.com/watch?v=Gp5uQIqn4aU

http://www.youtube.com/watch?v=3rlnVWQ8-uY

http://www.anabb.org.br/mostraPagina.asp?codServico=421&codPagina=46609

http://www.depen.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=18

http://intervox.nce.ufrj.br/~cap-mga/cooperacao.htm

http://www.gazetadopovo.com.br 

http://portalintercom.org.br/anais/sul2013/expocom/EX35-1476-1.pdf

33
última modificação: qui, 24/04/2014 - 15:08