Início > Boas Praticas > Ljubljana recebe o título de Capital Verde Europeia 2016

Ljubljana recebe o título de Capital Verde Europeia 2016

Ljubljana

Continente: 
Europa
País: 
Eslovênia
População (Ano): 
274.826 hab.
Ano População: 
2013
A capital da Eslovênia, Ljubljana, ganhou o Prêmio Capital Verde Europeia 2016 devido a sua estratégia de sustentabilidade “Visão 2025”, pelo reconhecimento de conscientização ambiental entre os seus cidadãos e pela implementação de uma série de medidas ecológicas na área urbana.

Descrição:

O Prêmio Capital Verde Europeia é concedido à cidade que apresenta um planejamento e um comprometimento com o desenvolvimento sustentável. São avaliadas as metas em curso e o plano de futuro para a preservação e melhoria do meio ambiente urbano.O regulamento do prêmio, a começar desta edição, passou a permitir a inscrição de cidades com população a partir de 100.000 habitantes e foram avaliados os seguintes indicadores: Alterações climáticas: mitigação e adaptação; Transporte local; Áreas verdes urbanas incorporando uso sustentável da terra; Natureza e biodiversidade; Qualidade do ar; Qualidade sonora do ambiente; Produção e gestão de resíduos; Gestão da água; Tratamento de águas residuais; Eco-inovação e emprego sustentável; Desempenho energético e Gestão ambiental integrada.

Ljubljana, capital da Eslovênia, foi a vencedora do prêmio devido ao seu plano de sustentabilidade para a cidade, chamado “Visão 2025: Cidade Sustentável”, que aborda de forma integrada ações ambientais e de gestão. O Programa de Proteção Ambiental, o Plano de Mobilidade Sustentável, o Plano de Ação de Energia Sustentável e da Estratégia de Eletromobilidade trabalham em conjunto para alcançar o desenvolvimento sustentável da cidade. 

Todas as atividades têm sido asseguradas financeiramente e o progresso é acompanhado regularmente pelo Conselho da Cidade. As avaliações de impacto ambiental são obrigatórias para tomada de decisões e as compras sustentáveis foram implementadas e atualmente atinge 70% de todas as compras da cidade, tornando Ljubljana um modelo nacional. A estratégia global prevê relatórios e pesquisas de opinião pública para monitorar o desenvolvimento sustentável nas políticas dos diferentes departamentos da cidade, com uma visão transparente de indicadores ambientais.

Em relação às alterações climáticas, Ljubljana apresenta uma meta bastante ambiciosa. Pretende reduzir as emissões de 50-80% até 2050 em relação a 2008 e está desenvolvendo um bom planejamento urbano e campanhas informativas para sensibilizar a população para alcançar esse objetivo. Além disso, incorporou o uso de uma ferramenta tecnológica, o portal móvel TE-TOL, que fornece dados com datas das emissões e seus impactos sobre o ambiente e a saúde, bem como informações sobre a produção de calor e eletricidade.

Na questão da mobilidade ocorreram mudanças intensas na última década. Em 2013, o fluxo do tráfego dentro da cidade foi alterado para limitar o transporte motorizado individual e dar prioridade aos pedestres, ciclistas e ao transporte público. O registro do programa de aluguel de bicicletas, BICIKELJ, mostra que desde 2011 foram realizados dois milhões de passeios com as bicicletas alugadas e a utilização das mesmas é regular por cerca de 10% da população. Um vasto conjunto de medidas como priorização de semáforo e informações em tempo real sobre os ônibus, além de um cartão que integra o pagamento de utilização dos transportes públicos (Park and Ride), favoreceram confiabilidade e agilidade no uso do transporte público.

A cidade investe na conversão de sua frota de veículos para combustíveis alternativos. Um plano de mobilidade urbana abrangente, ambicioso e sustentável foi adotado em 2012, com o objetivo de obter uma cota de uso de 33% do transporte público, 33% de tráfego não motorizado e 33% por veículos particulares até 2020. 

Em 2009 foi aprovado o Programa Operacional para Proteção Ambiental do Ar, com metas para diminuir a quantidade de material particulado. As medidas adotadas visam reduzir os impactos individuais no uso dos combustíveis sólidos e a introdução do plano de mobilidade sustentável. Em 2013 um Decreto Nacional foi aprovado contemplando subsídios para esse programa e determinando medidas locais. Os dados da qualidade do ar, disponíveis na web, são medidos de hora em hora e informam sobre os riscos e efeitos na saúde. Palestras, publicações e eventos sobre qualidade do ar, realizados junto a comunidade ajudam na conscientização.

A poluição sonora é monitorada e avaliada periodicamente. As medidas adotadas relacionadas com o plano de mobilidade, a criação da zona ecológica e o zoneamento acústico previsto no plano diretor, reduziram bastante os ruídos em comparação com o mapa de ruídos realizado em 2007.

A Gestão de Resíduos apresenta objetivos claros e indicadores mensuráveis. A cidade tem uma taxa baixa de geração de resíduos domésticos e com metas claras para reduzir ainda mais até 2016. A reciclagem alcança altos níveis e também apresenta metas ambiciosas. Projetos relativos aos resíduos estão em processo de criação e referem-se à instalação de um centro de gestão que fará o tratamento residual biológico, mecanizado para obtenção de energia (esta previsto para 2016).  

A Gestão da Água na cidade é realizada de forma inovadora. Desde 2009, há um sistema de tarifas para o consumo de água potável. O custo do consumo depende do consumo médio diário. O cálculo é baseado na capacidade do medidor de água para o edifício sobre o número de habitantes. Se o consumo excede o previsto é cobrado um preço 50% superior ao preço de consumo normal. Isso levou à redução no consumo de água.

Há também um programa de informação aos cidadãos sobre a localização de fontes de água potável. As informações sobre as fontes públicas e a qualidade da água das mesmas estão disponibilizadas em www.primavoda.si/. Também, é possível acessar por aplicativo de smartphones e, assim, obter a rota para a fonte mais próxima. Este site também disponibiliza informações sobre a importância da água potável e do quanto este recurso é valioso. Isso ajuda a gerar consciência na população.

Entre 1994 e 2004, com inspeções regulares e sistemáticas da rede de abastecimento de água, foi possível reduzir a perda de água por vazamentos em 57% (em relação ao ano base 1994). Além disso, 87,3% da população está ligada à rede de esgoto e a outra pequena parcela está ligada em pequenas estações de tratamento que estão substituindo gradualmente as fossas sépticas.

O Plano de Ação para a Energia Sustentável 2020 (SEAP) foi elaborado em um processo participativo por um grupo especial de peritos que incluí estado, universidade e indústria.  Entre as ações previstas o plano prevê criar 1.400 estações de carregamento para veículos elétricos. 

O site https:[email protected]jana mostra a cidade em formato 3D com todo seu planejamento e desenvolvimento urbano. Essa ferramenta inovadora permite mostrar projetos de ordenamento do território e novas soluções espaciais de forma interativa e, assim, estimular o debate sobre os aspectos do desenvolvimento espacial da cidade.

As áreas verdes se comunicam por meio de corredores verdes e mais de 2.000 mudas de árvores foram plantadas na cidade nos últimos três anos. Foram criados cinco novos parques (o que aumentou a área verde urbana em 40 hectares) e os taludes do rio Sava foram revitalizados. A cidade de Ljubljana tem um Conselho do Espaço Público e um colegiado que inclui representantes de vários departamentos municipal, ambos associados à gestão de áreas verdes e outros espaços públicos. O governo elaborou um plano nacional para prevenção de enchentes.

Objetivos

Integrar as políticas setoriais e despertar a conscientização da população para a preservação e economia dos recursos naturais por meio da transparência na informação.

Metodologia

Nos últimos anos a cidade tem trabalhado para fortalecer a as ações conjuntas de sustentabilidade, com uma visão global, e criar consciência ambiental entre a população e funcionários da prefeitura. Entre 2007 e 2013, implantou mais de 650 projetos para melhorar ainda mais a qualidade de vida dos cidadãos. 

Estudos sobre a qualidade do ar e os níveis do risco dos poluentes para a saúde foram determinados utilizando dados de um estudo de monitoramento em uma amostra de mais de 30 milhões de pessoas. São realizados monitoramento e avaliação periódica da poluição sonora. Também são promovidas campanhas informativas, atividades de educação ambiental e cartilhas para as escolas como uma importante ferramenta metodológica para a conscientização da população.

 

Cronograma

2009 - Aprovação do Programa Operacional para Proteção Ambiental do Ar, com metas para diminuir a quantidade de material particulado;
2009 – Instauração do sistema de tarifas para o consumo de água potável com o intuito de evitar o desperdício;
2011 – Inicio do programa de aluguel de bicicletas, BICIKELJ;
2012 – Adoção de um plano de mobilidade;
2013 -  Ljubljana modificou o regime de tráfego na artéria de tráfego principal (Slovenska Street) para limitar o tráfego motorizado e dar prioridade aos pedestres, ciclistas e transporte público;
2014 - A cidade foi eleita a Capital Verde Europeia 2016.


Resultados

- Em relação às compras públicas sustentáveis, Ljubljana tem feito progressos significativos, atualmente atinge 70% de todas as compras da cidade.
- Foram registrados dois milhões de passeios com bicicletas do programa “BicikeIj” no período de três anos. Durante esse período, cerca de 55 mil pessoas (moradores e visitantes) utilizaram as bicicletas e estas são usadas regularmente por cerca de 10% da população. No registro do programa existe cerca de 25.000 usuários ativos registrados com uma assinatura anual.
- Atualmente, aproximadamente três quartos da área da cidade são constituídos por espaços verdes, com 16,5%, sendo Zonas Naturais. Entre 2008 e 2012 foram criados 40 hectares de novos parques em áreas que até então estavam degradadas. Hoje a cidade tem aproximadamente 560 m² de áreas verdes por habitante e 20% da área é protegida pelo estatuto de proteção da natureza.
- Em 2010 a cidade declarou 1.400 ha do território como floresta com o propósito especial de absorver o CO2.
- O tráfego de automóvel particular no centro da cidade reduziu de 47% para 19% entre 2003 e 2013; enquanto o uso de transporte público aumentou de 20% para 27,7% e quantidade de pedestres mudou de 33% para 53,3% neste mesmo período. Pesquisas indicam que foi alcançada 96% de confiabilidade da população para o transporte público. 
- 51 coletores de resíduos subterrâneos substituíram 3.500 contêineres.
- Redução na exposição de ruídos, medição feita em 2013 aponta uma redução aproximada de  12,5%  comparado com o mapa e 2007.
- A iniciativa World Summit Award (WSA) sobre a sociedade da informação, realizado sob os cuidados das Nações Unidas, escolheu o portal móvel  Thermal Power Plant (TE-TOL) de Ljubljana como uma das cinco melhores práticas do mundo na área de disponibilização de informações ambientais.
- Vencedora do Prêmio Europeu de Espaço Público Urbano em 2012
- Vencedora do Prêmio Capital Verde da Europa de 2016.

Fontes:

http://ec.europa.eu/environment/europeangreencapital/wp-content/uploads/...
https:[email protected]jana
http://en.bicikelj.si/
http://europa.eu/rapid/press-release_IP-14-719_en.htm
http://www.primavoda.si/
http://ec.europa.eu/environment/europeangreencapital/ljubljanas-water-fo...
http://www.eea.europa.eu/highlights/ljubljana-wins-european-green-capita...
http://ec.europa.eu/environment/europeangreencapital/applying-for-the-aw...
http://ec.europa.eu/environment/europeangreencapital/press-communication...
http://ec.europa.eu/environment/europeangreencapital/wp-content/uploads/...
http://www.te-tol.si/en/index.php?sv_path=2458,2489,4266
http://www.eurocities.eu/eurocities/activities/eurocities-awards/awards2013
http://www.ljubljana.si/en/about-ljubljana/award-winning-ljubljana/88060...
http://www.ljubljana.si/en/about-ljubljana/award-winning-ljubljana/?year...

14
última modificação: qui, 25/09/2014 - 11:04