Início > Boas Praticas > Mulheres no Governo Local

Mulheres no Governo Local

#689071

Canadá

Continente: 
América do Norte
País: 
Canadá
População (Ano): 
34.019.000 hab.
Ano População: 
2010
O Canadá, por meio da Federação Canadense dos Municípios (FMC), estabeleceu um Comitê Permanente para ampliar a participação das mulheres nos governos municipais. O objetivo do comitê é atingir, até 2026, a meta estabelecida pela ONU de, no mínimo, 30% de participação das mulheres. No governo federal, essa meta foi superada em novembro de 2015, quando o novo primeiro-ministro, Justin Trudeau, anunciou que, pela primeira vez na história do país, o ministério seria igualitário. Ele nomeou 15 ministros homens e 15 ministras mulheres.

Descrição:

Com o propósito de pautar os temas e as preocupações das mulheres na gestão pública, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu que os governos deverão ter, no mínimo, 30% de mulheres em sua composição.

O Canadá, como a maioria dos países, ainda está longe de alcançar essa meta proposta pela ONU nos governos municipais. Porém, em busca desse objetivo, criou um Comitê Permanente para estimular e ampliar a participação das mulheres na composição dos conselhos municipais e nos cargos de prefeita.

O Comitê Permanente foi criado em 2005, pela Federação Canadense dos Municípios (FMC), visando reduzir a desigualdade na participação entre os gêneros. 

Desde sua criação, o órgão realiza uma série de iniciativas, atividades e programas para incentivar as mulheres que almejam concorrer a cargos públicos municipais.

Dentre as iniciativas promovidas pela FMC destacam-se: a elaboração de um guia para orientação às candidatas mulheres aos governos municipais; a realização de uma série de workshops e atividades envolvendo os conselhos municipais em todo o país; e até a oferta de prêmios e bolsas de estudos para mulheres que se destacam no campo da política municipal. Os prêmios e bolsas de estudos também são ofertadas a mulheres engajadas em causas da sociedade civil e jovens secundaristas, para que se aprofundem no campo político.

O programa mais recente proposto chama-se "Head Start", ou "Um bom começo", que é destinado a mulheres jovens. Através deste programa, as mulheres envolvidas na política e em grupos de jovens mulheres se reúnem para determinar quais são os obstáculos encontrados nas comunidades que dificultam a participação feminina na sociedade civil e na política local. Elas também discutem como superar esses obstáculos.

Além das atividades realizadas, o Comitê toma medidas concretas para encorajar as mulheres a participarem como candidatas nas eleições.

Depois das eleições, o Comitê promove atividades para estimular as boas relações de trabalho entre todos os que atuam na arena política, estabelece uma rede entre todas as eleitas do Canadá e orienta e aconselha as recém-eleitas em questões difíceis. A organização também organiza uma conferência anual para compartilhar informações, ideias e lições aprendidas.

Objetivos:

- Apoiar, estimular e aumentar a participação das mulheres nos governos municipais;

- A meta é alcançar os 30% de representação feminina nos conselhos municipais e nos cargos de prefeita até 2026;

- O trabalho do Comitê em busca desse objetivo nos municípios deve ser estimulado pelo novo governo federal do Canadá, que já superou a meta estabelecida pela ONU. Em novembro de 2015, o novo primeiro-ministro, Justin Trudeau, anunciou que, pela primeira vez na história do país, o ministério seria igualitário. Ele nomeou 15 ministros homens e 15 ministras mulheres.

Cronograma e Metodologia:

- Em 2005, a Federação Canadense dos Municípios (FMC) criou o Comitê Permanente com a finalidade de aumentar a participação das mulheres nos governos municipais;

- O Comitê realiza diversas ações e apoia inúmeras iniciativas visando estimular a participação política das mulheres;

- O Comitê é composto por 38 funcionários municipais eleitos de todas as regiões do Canadá, que trabalham para que a participação das mulheres nos conselhos municipais e nos cargos de prefeita alcance os 30% preconizados pela ONU.

Resultados:

- Formulação de diversas estratégias para assegurar a igualdade de oportunidades e diminuir os obstáculos encontrados pelas mulheres que desejam se engajar na carreira política;

- Realização de atividades constantes para a formação de mulheres e sensibilização da sociedade;

- Desde 2007, o governo, através da organização "Status das Mulheres do Canadá", destinou mais de US $ 21 milhões a projetos que incentivam a participação das mulheres indígenas na tomada de decisões e na vida democrática;

- Em 2015, a participação das mulheres alcançou 25% nos conselhos municipais. Alguns municípios já apresentam uma participação maior ou igual a 30%, que é a meta proposta para 2026. Além disso, 18% das prefeituras já são comandadas por mulheres (prefeitas). 

- O parlamento eleito em 2011, que atuou até agosto de 2015, teve um número recorde de mulheres eleitas. Foram 77 deputadas, número que representa 25% do total do parlamento. Esses números mostram um aumento significativo na participação das mulheres em comparação com os parlamentos anteriores, constituídos em 2006 e 2008, que apresentaram respectivamente 21% e 22% de participação de mulheres;

- Em 2011, pelo menos uma deputada foi eleita em cada província, inclusive no território de Nunavut, que é a região do Canadá com menor índice de participação das mulheres;

- No mesmo ano, foram eleitas duas mulheres aborígenes.

Instituição Envolvida:

Federação Canadense dos Municípios (FMC)

Fontes:

Women in Local Government

Estatísticas Municipais

Guia para Mulheres Candidatas

FCM

Um bom começo para as mulheres jovens

Condition féminine Canada

13
última modificação: sex, 27/11/2015 - 13:52