Início > Boas Praticas > Naves do Conhecimento

Naves do Conhecimento

Rio de Janeiro

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
RJ
População (Ano): 
6.323.000 hab.
Ano População: 
2010
Distribuídas pela cidade do Rio de Janeiro, as Naves do Conhecimento oferecem uma grande diversidade de ambientes, com equipamentos de alta tecnologia à disposição dos usuários. Aliando o mundo tecnológico aos direitos de cidadania, a iniciativa tem como proposta formar cibercidadãos.

Descrição:

As Praças ou Naves do Conhecimento são espaços que unem a população ao mundo da tecnologia.

A proposta do projeto da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro é implantar uma rede de Naves do Conhecimento, que garanta aos munícipes o que existe de mais avançado em termos de cultura digital nas áreas de educação, entretenimento, serviços e formação profissional. 

Atualmente existem oito Naves do Conhecimento na cidade do Rio de Janeiro. Os prédios abrangem uma grande diversidade de ambientes, com equipamentos de alta tecnologia à disposição da população, inclusive aos finais de semana.

Nestes espaços, são realizadas ações específicas para os jovens das comunidades locais, como concursos, mostras de cinema e oficinas. Além disso, há também cursos nas áreas de tecnologia da informação, produção gráfica, web design, computação gráfica, robótica, produção de vídeo e fotografia, entre outros.

Os cursos mais procurados são os de Alfabetização Digital Básica e Avançada, Tecnologia e Empreendedorismo, Tecnologia e Comunidade, Vídeo, Programação de Computadores e Inglês para o Turismo. Como apoio para os cursos, os alunos podem estudar na Lan Table (espécie de lan house com internet banda larga) ou na Biblioteca Digital existente no interior das Naves.

As Naves visam criar oportunidades de acesso ao conhecimento e às profissões do terceiro milênio, além de proporcionarem entretenimento, usando as tecnologias mais avançadas. 

A qualidade das edificações e instalações das Naves também deve ser destacada. Edifícios públicos de qualidade, construídos em áreas degradadas, ajudam a requalificar toda a região e atraem o interesse das pessoas. Os espaços estão entre os poucos prédios públicos do Rio de Janeiro que não foram pichados. 

O projeto está ajudando a melhor a vida de milhares de moradores das zonas norte e oeste da cidade, transformando bairros em "Comunidades Inteligentes".

Objetivo:

Funcionar como um polo de inclusão digital, permitindo acesso à Internet, ferramentas de ensino e programas de uso pessoal;

Criar um núcleo de difusão e criação artística, cultural e social para os moradores locais.

Metodologia e Cronograma:

De junho de 2012, data da inauguração da primeira Nave do Conhecimento, em Santa Cruz, até hoje, outros sete espaços semelhantes foram entregues: Irajá, Parque Madureira, Padre Miguel, Penha, Vila Aliança, Nova Brasília (Complexo do Alemão) e Triagem;

As oito unidades funcionam como uma praça digital com livre acesso à internet. As estruturas possuem uma área de 450 m² destinada à vivência no mundo da Internet, ao ensino da informática e ao lazer;

Nos espaços são oferecidos gratuitamente cursos, oficinas de capacitação digital e atividades interativas;

A Nave do Conhecimento também é composta por uma biblioteca digital, com acesso à banda larga, o que permite à população consultar revistas, livros e acervos de outras bibliotecas e instituições culturais do Brasil e do exterior.

Resultados:

- De acordo com a Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SECT), até março de 2015, os oito espaços tecnológicos já tinham recebidos 1.566.345 visitas de pessoas. Estes visitantes fizeram cursos, participaram de oficinas ou, simplesmente, se conectaram ao mundo virtual com pesquisas para o trabalho, a escola ou para o lazer;

- As visitas resultaram em um cadastro digital de 150 mil pessoas que incluíram as Naves do Conhecimento em seu cotidiano;

-  Durante o período (até março de 2015), 14.582 alunos se formaram nos cursos ministrados nestes locais;

- 2015: O Projeto das Naves do Conhecimento venceu, pelo voto popular, o prêmio internacional de arquitetura, o Architizer A+ Awards, realizado em Nova Iorque. Foram mais de cem países concorrentes na categoria de edifícios públicos.

Instituição envolvida:

Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro

Fontes:

Nave do Conhecimento

Prêmio

 

34
última modificação: sex, 11/09/2015 - 17:52

Comentários