Início > Boas Praticas > Projeto Crescer: Ressocialização de Jovens

Projeto Crescer: Ressocialização de Jovens

Boa Vista

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
RR
População (Ano): 
314.900 hab.
Ano População: 
2014
O Projeto Crescer, com foco na inclusão social, articula ações nas áreas de educação, saúde, assistência, esporte, geração de renda, entre outras. A iniciativa da Prefeitura de Boa Vista (RR) é voltadas principalmente para jovens infratores e envolvidos com drogas.

Descrição:

Na cidade de Boa Vista, a violência entre os jovens aparecia de maneira muito acirrada devido à existência de diversas “gangs” de bairros. Esses grupos, identificados pelo Censo em 2001, se envolviam cotidianamente em brigas e não raramente ocorriam mortes.

Na mesma época, foi detectada a inexistência de políticas públicas que oferecessem atividades artísticas, esportivas e culturais para esse segmento da população. Além disso, esses jovens apresentavam um total desinteresse pelo trabalho ou estudo e um profundo desconhecimento de valores éticos e de dignidade.

O Projeto Crescer foi implementado pela prefeitura de Boa Vista com o objetivo de combater a marginalidade advinda da ociosidade das ruas e do uso de drogas. A proposta visa construir a cidadania entre os jovens da periferia. 

O Projeto garante oportunidades concretas de aprendizagem e de inserção na sociedade, de forma qualificada e sustentável, a todo adolescente e jovem do município. A iniciativa tem como referência o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que estabelece direitos e proteção integral para esses segmentos da população em desenvolvimento.

A proposta inova em relação à forma de abordagem. A equipe da prefeitura inicia a criação de contato com as famílias e uma relação direta com os jovens. Estes passam a dedicar parte de seu tempo para causas de interesse comunitário. 

O projeto fornece acesso aos equipamentos e serviços públicos que quaisquer adolescentes e jovens têm direito, respeitando as diferenças inerentes a esse grupo, sejam elas socioeconômicas, familiares ou individuais.

As oficinas são profissionalizantes com foco na inserção no mercado de trabalho: informática, serigrafia, moda, sinalização, panificação, serralheria, eletricidade, embalagens, teatro, reciclagem de papel, lutheria (fabricação de instrumentos musicais de corda), plasticultura com cultivo de hortaliças, ervas, legumes e flores, além dos trabalhos com biscuit e cestaria. Todos os produtos são comercializados por uma cooperativa administrada pelos jovens. O projeto conta também com um Cyber Café. 

Oficinas para retomar a autoestima também são oferecidas, além de várias modalidades de esportes praticadas duas vezes por semana. Essas ações complementam a proposta, fortalecendo a autoconfiança desses jovens, que se tornam mais preparados inclusive para cumprirem seus papéis nas diversas ações promovidas pela prefeitura, tais como: prevenção à dengue, educação no trânsito, prevenção ao abuso sexual, etc.

Como muitos jovens que aderiram ao projeto estavam fora da escola, a Prefeitura de Boa Vista instalou uma escola diferenciada para garantir a escolarização deste publico.

A Escola Municipal Frei Arthur tem uma proposta pedagógica para acolher incondicionalmente seus alunos e garantir-lhes condições concretas de aprendizagem. O objetivo é permitir que eles conquistem a certificação do ensino fundamental e médio. A escola também faz parcerias com outras instituições, como o SEBRAE/RR e sindicatos, para que os jovens incorporem maiores perspectivas referentes à geração de renda. 

Um longo caminho foi percorrido pelos gestores para transformar a imagem do Crescer junto à população. Atualmente, esse projeto é considerado um exemplo de política pública para a juventude. 

Objetivo:

Implementar uma política pública que atenda aos adolescentes e jovens de baixa renda, visando à inclusão social. 

Cronograma e Metodologia:

O projeto teve início em 2001, com uma oficina de marcenaria visando à preparação da festa junina, que é um acontecimento importante na vida local. Desde então, a relação com 150 jovens foi consolidada e surgiu a primeira turma do Crescer que, sem a violência habitual, passou a montar o evento anual. Devido ao sucesso da iniciativa, duas novas oficinas foram realizadas: a de panificação e de sinalização.

Em dezembro de 2001, a Lei n°605/01 criou oficialmente o Projeto, estabelecendo objetivos mais adequados e reformulando a proposta original do Programa de Governo. O Crescer é baseado no tripé "Ser/Valores", "Viver/Convivência" e "Aprendizagem-Fazer/Geração de Renda", que resulta em três núcleos respectivamente: Escola, Oficinas e Cooperativa.

Em janeiro de 2002, 470 adolescentes e jovens passam pela etapa que a equipe denomina "primeira capacitação". Diferentes grupos, em diversos locais, discutem possibilidades de ações. Simultaneamente, uma parte da equipe busca instalações físicas, equipamentos e material. 

Em 2004 foi criada a escola municipal Frei Arthur Agostini, com um projeto pedagógico específico para os jovens do Projeto Crescer. Trata-se de uma proposta de ensino acelerado, que integra três áreas de aprendizagem:

- linguagens e códigos e suas tecnologias;

- ciências humanas e suas tecnologias;

- ciências da natureza e suas tecnologias.

As oficinas trabalham a convivência em grupo, aprendizagem de ofícios e a formação lúdica dos jovens.

No turno oposto ao da escola, o conteúdo programático envolve duas horas de aprendizagem, uma hora de curso de informática, além de outra para atividades, como dinâmicas com psicólogos e palestras sobre temas como sexualidade e drogas. Cabe à cooperativa o papel de agregar à educação, a oportunidade de geração de renda.

Resultados:

- Segundo pesquisa realizada, 70% dos participantes do Crescer o avaliam como oportunidade de profissionalização, e 94% dos pesquisados o classificam como responsável pela reestruturação familiar.

- O projeto auxilia no combate à desnutrição, com o plantio de hortaliças, e na promoção de eventos populares em parceria com a prefeitura (montagem e decoração das principais festas populares). A iniciativa também contribui com as campanhas de educação ecológica e ações na área da saúde, entre as quais coleta seletiva de lixo e combate à dengue. 

- Incentiva os jovens a participarem dos Fóruns de Garantias dos Direitos e assim, inserem progressivamente os participantes na vida da cidade.

- Redução significativa no número de “gangs” e da violência. Entre 2001 a 2003, o índice de homicídios em Boa Vista caiu 75%, segundo dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública. 

- Encontros periódicos com os pais e a formação de uma comissão para a participação e acompanhamento do projeto.

- O projeto é acompanhado por um Conselho Gestor, que envolve: Gabinete da Prefeitura, Diretoria Municipal de Trânsito e Fundação de Educação, Ciência e Cultura (FECEC), além das secretarias municipais da Juventude, Educação e Cultura, Trabalho e Desenvolvimento, Gestão Participativa e Cidadania, Saúde, Agricultura, Meio Ambiente e Assuntos Indígenas.

- Em virtude do projeto, a Prefeitura de Boa Vista recebeu o Prêmio Inovação em Gestão Pública, que foi conferido pela Fundação Getúlio Vargas e Fundação Ford, em 2002.

- Por dois anos consecutivos, a cidade também recebeu o prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor Mário Covas, em 2003 e 2004.

- Boa Vista foi ainda finalista no Programa Prefeito Amigo da Criança, da Fundação Abrinq em 2004, e premiada pela Petrobras (2002).

- Segundo dados divulgados pelo Mapa da Violência, depois do início do projeto Crescer, Boa Vista caiu da 9ª capital em homicídios de jovens, em 2000, para a 22ª, em 2012. O índice de assassinatos entre os jovens baixoou em 42% na cidade.
 
- Atualmente, o programa recebe 500 jovens. Todos ganham R$ 180,00 mensais, além de refeição e transporte até a sede do projeto.

- Dos mil alunos iniciais que participaram do Crescer, cerca de 650 se recuperaram, 200 seguiram para apoio terapêutico, com auxílio de psicólogos e clínicas de reabilitação, e 150 abandonaram o projeto.

Instituições Envolvidas:

Prefeitura Municipal de Boa Vista

Fontes:

Prefeitura Municipal de Boa Vista

Cidades do Brasil

Folha de São Paulo

Projeto Crescer

Boa Vista Já

 

 

33
última modificação: seg, 09/03/2015 - 17:25