Início > Boas Praticas > Revitalização Integral de Assentamentos Urbanos

Revitalização Integral de Assentamentos Urbanos

Chengdu

Continente: 
Ásia
País: 
China
Em 1993, a prefeitura de Chengdu deu início ao Plano de Revitalização Integral dos rios Nan e Fu. Este plano, que seguiu os princípios do planejamento participativo com parcerias entre os setores público e privado, conseguiu conscientizar a opinião pública e encorajou um grande número de parceiros a investir em um futuro mais sustentável para a cidade e seus habitantes.

Descrição

Em 1993, a prefeitura de Chengdu deu início ao Plano de Revitalização Integral dos rios Nan e Fu. Este plano, que seguiu os princípios do planejamento participativo com parcerias entre os setores público e privado, conseguiu conscientizar a opinião pública e encorajou um grande número de parceiros a investir em um futuro mais sustentável para a cidade e seus habitantes. Mais de 30 mil famílias que antes viviam nos bairros de moradias precárias localizadas nas margens dos dois rios receberam moradia decente e acessível. Vários projetos paralelos abordaram os problemas de saneamento, das descargas industriais, da infraestrutura, do transportes e das comunicações, bem como dos parques e jardins.               

Objetivos

Revitalizar os rios Fu e Nan e transformar a cidade de Chengdu em um lugar menos poluído e melhor de se viver.                     

Resultados

1. Estrutura do rio:

a) Dragou-se 20km de canais fluviais.

b) Retirou-se 950 mil metros cúbicos de sedimentos.

c) Construiu-se ou reforçou-se 53 km de diques.

d) Construiu-se ou reforçou-se 24 pontes.

e) Construiu-se 12 novas docas.

Graças a estas obras e um total de USD$ 100 milhões investidos na construção e desenvolvimento de infra-estruturas fluviais, a descarga de água dos rios Fu e Nan aumentou em 100%, de 644 metros cúbicos por segundo para 1.290 metros cúbicos por segundo. A cidade de Chengdu não é mais ameaçada por inundações.

2. A gestão dos resíduos:

O sistema de gestão de resíduos do projeto consiste em três tipos de medidas: prevenção, tratamento e utilização.

• A prevenção envolve a reabilitação de 1.006 indústrias poluentes na cidade. 488 indústrias obsoletas foram fechadas, 478 receberam incentivos para empreender em melhoramentos tecnológicos e 40 foram transferidas para uma área industrial fora da cidade. Foram renovados e equipados mais de 100 latrinas nas margens dos rios, de modo a não mais poluir os rios. No total, as medidas preventivas reduziram o número de descargas domésticas e industriais de ambos os rios, 85 e 19%, respectivamente;

• O tratamento envolveu a instalação de 26 km de coleta de água dos rios para recolher e transportar o esgoto doméstico para a estação de tratamento. A usina construída na primeira fase, concluída em 1992, depura 100.000 toneladas de águas residuais por ano. A planta da segunda fase, concluída no final de 1999, depura um montante adicional de 300.000 toneladas por dia.

• A utilização envolve uma série de medidas de poupança de água, tais como a reutilização de água de esgoto para uso agrícola e industrial, bem como a sensibilização dos cidadãos e gestão da demanda.

3. Gestão da água: devido à escassez de água em ambos os rios durante a estação seca, a cidade de Chengdu compra 40 milhões de metros cúbicos de água, com um custo anual de USD278.700, para manter um nível adequado de água e restabelecer o seu equilíbrio ecológico. Para controlar o fluxo, construiu-se cinco barragens de borracha para reduzir o impacto negativo da queda de nível dos rios e manter sempre um mínimo constante de 850 hectares de água.

4. Criação de áreas verdes e áreas de lazer e cultural: criaram-se 28 hectares de parque nas margens do rio, sob a forma de 13 jardins públicos. Junto com outros locais de grande importância histórica e cultural, como Du Fu Cottage, o Templo do Marquês Wu, o Mausoléu Yongling, o templo de Wenshu e o Parque Wangjiang, estes parques e jardins proporcionam uma paisagem cultural completa.

5. Condições ambientais: os 850 hectares de água que cercam a cidade tem melhorado a sua qualidade, e não mais chamado de "o esgoto fedorento de Chengdu”. Junto com os 28 hectares de parques recém-criados, contribuem para reduzir os gases de efeito de estufa, e reduzir a quantidade de poeira e partículas em suspensão. As zonas verdes protegem os rios e estes já melhorados ajudam a manter áreas verdes e restaurar o equilíbrio ecológico da cidade.

6. Riqueza cultural e cívica: a expansão de estradas e instalações de transportes públicos rodeando cinturões verdes da cidade têm contribuído para reduzir o congestionamento rodoviário e para facilitar o acesso às margens dos rios e a seus recém-criados parques e jardins para o benefício de toda a população. Os vizinhos de Chengdu notaram uma melhora significativa na qualidade de suas vidas e de seu entorno.

7. Condições econômicas: O projeto tem gerado receitas e benefícios significativos para a cidade e municípios próximos. A parte de obras civis do projeto reavivou a indústria local e todos os setores econômicos, especialmente a construção, transportes, gestão e materiais de construção. A renda per capita cresceu de USD 540 em 1993 para USD 1.340 em 1998. Como resultado, Chengdu aumentou a sua capacidade de atração de investimentos nacionais e estrangeiros. A criação de áreas verdes na cidade e à reabilitação de rios também aumentou sua atratividade para o turismo no país e no exterior.

8. Gestão: O município envolveu-se em especial na criação do Comitê Administrativo do Projeto de Revitalização Integral dos rios Nan e Fu, presidido pelo prefeito Wang Rongxuan como superintendente da fase de ampliação do projeto. Dado que a segunda fase vai além do centro urbano estabeleceu-se parcerias com as autoridades locais dos municípios acima e abaixo dos rios.

9. Educação: escolas, faculdades e universidades em Chengdu incorporaram em seus currículos temas como ecologia fluvial e proteção ambiental, e utilizam os dois rios como laboratórios vivos. Esta dimensão docente intensificou a criação do parque Jardim da Água Viva, projetado em conjunto por Dammon Besse, um artista ambiental dos Estados Unidos, Margie Ruddick, uma especialista em paisagem também dos Estados Unidos, e vários especialistas chineses. O parque é um enorme canavial, que capta água da parte alta do rio, a vai decantando através de uma série de lagoas e a filtra através de plantas aquáticas, para finalmente abastecer uma piscina pública, antes de devolver a água ao rio. Em setembro de 1999, incorporou-se ao parque um pavilhão de educação ambiental com uma exposição permanente para contribuir para a educação e conscientização ambiental.           

Instituições envolvidas

• Governo Municipal de Chengdu (Governo local)

• Ministério da Construção da Republica da China

• Ministério das Finanças da Republica da China

• Governo Provincial de Sichuan Provincial

• Zhang Qiao (instituição de pesquisa).

Fontes

http://habitat.aq.upm.es/dubai/00/bp104.html   

33
última modificação: ter, 30/04/2013 - 14:55