Início > Conferencia2015 > Noticias > Segunda edição do Prêmio Cidades Sustentáveis será em 2016

Segunda edição do Prêmio Cidades Sustentáveis será em 2016

O lançamento do Prêmio foi realizado durante a Conferência Internacional Cidades Sustentáveis e o III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, em Brasília.

Por Luana Copini, da Rede Nossa São Paulo

A primeira edição do Prêmio, feita em parceria da Associação Brasileira de Municípios (ABM) e da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), foi realizada em 2014 e teve como objetivo estimular os gestores públicos para a criação, manutenção e atualização de observatórios em seus respectivos municípios, contendo indicadores, programas de metas e informações relevantes sobre políticas públicas voltadas à qualidade de vida e ao desenvolvimento sustentável, assim como reconhecer e valorizar as experiências bem-sucedidas.

“Muita gente talvez não tenha conhecimento do que é sustentabilidade, mas certamente conhece a insustentabilidade. Sabe que o analfabetismo é insustentável, a desigualdade é insustentável, a falta de transparência é insustentável, a poluição é insustentável, acabar com os recursos naturais, a água, por exemplo, é insustentável, a falta de educação é insustentável, a baixa qualidade na saúde é insustentável... Por isso precisamos reconhecer as boas práticas que podem ser adotadas pelos municípios para mudar a realidade da insustentabilidade, pois os efeitos atingirão a gente, e certamente os nossos filhos e os nossos netos”, pontua Oded Grajew, coordenador geral da Rede Nossa São Paulo e do Programa Cidades Sustentáveis.

Grajew ainda ressalta a importância das boas práticas e o compromisso dos municípios com o desenvolvimento sustentável. “Por coincidência, ou não, o Prêmio será entregue dois meses antes das próximas eleições municipais. Além da visibilidade que o município terá por meio dele, assumirá um grande papel e responsabilidade no compromisso para a criação de cidades mais justas e sustentáveis, sendo inspiração para outras cidades”.

Em 2014, o prêmio reconheceu o trabalho dos Observatórios das cidades signatárias do Programa Cidades Sustentáveis. Em 2016, a proposta é reconhecer políticas públicas inovadoras bem-sucedidas nas cidades brasileiras que já demonstrem resultados concretos, baseados nos indicadores do Programa. A novidade desta edição é que a avaliação deverá contemplar eixos temáticos, como Educação, Segurança, Saúde, Mobilidade Urbana, Esporte, Criança, etc.

Para cada tema serão firmadas parcerias com organizações que já têm reconhecida experiência na área. Hoje, durante o lançamento, foram apresentadas duas categorias com suas respectivas parcerias: o Prêmio Cidade da Criança, realização de forma conjunta com o Instituto Alana e o Prêmio Cidades do Esporte, fruto da parceria antiga com a Atletas pelo Brasil.

O Prêmio Cidade da Criança destaca as cidades e governantes que cuidam bem de suas crianças, implantando políticas e ações que garantam a elas acesso ao conhecimento, a uma vida saudável e que lhes assegurem os direitos contidos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“Promover os direitos da criança e do adolescente, além de criar ações para a construção de uma cidade – e sociedade – melhor para elas é o nosso papel. E este Prêmio Cidade da Criança, tem o objetivo de elencar as cidades que possuem as melhores práticas e os melhores indicadores relacionados à criança. Nós acreditamos que uma cidade que propicia uma boa qualidade de vida para as crianças, é uma cidade realmente sustentável”, destaca Pedro Hartung, do Instituto Alana.

Já o Prêmio Cidades do Esporte surge da necessidade de ações, boas práticas e políticas públicas de impacto no esporte nacional. Para Raí Oliveira, diretor da Atletas pelo Brasil, que luta há anos pelo desenvolvimento de um sistema de políticas públicas para o esporte, o Prêmio Cidades do Esporte não promete a integração dos programas locais para o esporte, mas o reconhecimento deles, fazendo com que se tornem referências para serem multiplicadas em outras cidades. Este Prêmio será pensando de acordo com o Relatório Cidades do Esporte (clique aqui e faça download do relatório).