Início > Boas Praticas > Escola e comunidade se engajam pela preservação do patrimônio

Escola e comunidade se engajam pela preservação do patrimônio

Maranguape

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
CE
População (Ano): 
115.464 hab.
Ano População: 
2011
Área Total (Ano): 
590.824,00 km²
Ano Área Total: 
2002
Casarão onde hoje funciona o Ecomuseu de Maranguape
O projeto Ecomuseu de Maranguape visa ao desenvolvimento sustentável da comunidade de Cachoeira por meio de ações integrativas de educação e cultura em prol do patrimônio histórico. No casarão que deu origem ao povoado em meados no século XIX foi instalado o equipamento cultural, que conta com programa de visitas e formação em educação patrimonial para que crianças e adolescentes da comunidade atuem como multiplicadores do conhecimento histórico de sua região.

Descrição:

Localizada na região metropolitana de Fortaleza, Maranguape está engajando seus habitantes em um projeto de preservação da história da cidade, que se iniciou em uma velha fazenda construída por escravos em meados século 19. Comprada de uma indígena da região pelo descendente de portugueses José de Moura Cavalcante, o terreno é ocupado com um casarão, finalizado em 1860. Além da vivenda, o português constrói um açude e uma capela, cumprindo promessa que havia feito à sua esposa. Aos poucos, novas famílias começaram a se instalar nos arredores da casa grande, que vem a constituir o núcleo formador da futura comunidade.

Adquirida na década de 70 por um grupo de agricultores que até hoje dividem os 300 hectares, a fazenda se tornou um terreno coletivo. Surge na comunidade a proposta de um centro cultural comunitário, que funcionaria no lugar do antigo casarão colonial, da capela e seu açude. O Ecomuseu de Maranguape surge como uma iniciativa de ecomuseologia comunitária centrada na experiência da comunidade, seu território e patrimônio cultural. Em funcionamento desde 2006, o projeto ainda leva o conceito de museologia comunitária para dentro da EMEI e EMEF José de Moura, as únicas escolas de Cachoeira.

Certificada pelo Ministério da Educação por meio do Programa Inovação e Criatividade na Educação Básica, a Escola Municipal José de Moura foi inaugurada há mais de 50 anos na Comunidade Rural do distrito de Cachoeira, se tornando referência como espaço de aprendizagem com atividades diferenciadas e o envolvimento de professores, alunos e comunidade nos processos de gestão pedagógica. O acervo e proposta de programação são preparados pelos moradores e estudantes por meio de contínuas pesquisas escolares, uma forma de engajar a comunidade com a história da região.

Na comunidade de Cachoeira, um dos 17 distritos de Maranguape, o Ecomuseu é um exemplo de como o território pode educar e envolver a cidade. O uso do museu se dá como um espaço para visitas internas, onde há exposição de fotos, artefatos históricos e exemplares de espécies, com curadoria da própria comunidade, e outra externa, onde o visitante pode conhecer a história natural de Maranguape. Os visitantes podem percorrer trilhas e descobrir sua vegetação, fauna e povo.

O projeto tem mostrado que criar condições para que o aprendizado extrapole a sala de aula e envolva espaços e agentes de uma comunidade requer sensibilização e mobilização por parte de seus habitantes. Em uma comunidade com aproximadamente 1500 habitantes, dos quais cerca de 400 com até 18 anos, o museu fortalece traços da cultural popular e tradicional. O espaço também recebe oficinas de patrimônio cultural, artesanato, permacultura e cultivo de alimentos orgânicos, uma das principais atividades econômicas do município. Ao longo do ano, a Festa do Feijão Verde celebra a culinária local e a poesia dos trovadores, enquanto a Farinhada entrou no roteiro cultural do museu vivo.

A consolidação desse projeto educacional é um conteúdo programático com participação da comunidade e contemplando propostas com foco no desenvolvimento sustentável. Desde o ano de 2012 o Ecomuseu desenvolve projeto de educação integral, integrando de forma mais plena a escola local. Todos os estudantes participam de atividades no contra turno da escola, além da formação de uma turma de aproximadamente 30 alunos, que são capacitados anualmente como agentes jovens do patrimônio cultural, uma formação de resgate histórico e empoderamento da comunidade.

Em 2015 a cidade aprovou um novo Plano Municipal de Educação, contemplando a ideia de Cidade Educadora e incluindo a aprovação de quatro estratégias relacionas à meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê a oferta de educação em tempo integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas brasileiras até 2024. Foi estabelecido um programa de educação com base na ecomuseologia e museologia comunitária, onde dinâmicas criativas e inovadoras de aprendizagem tenham mais espaço e legitimidade nas Escolas do Município, sobretudo com base na educação patrimonial e permacultura para o desenvolvimento local e sustentável.

Atualmente o projeto está dedicando esforços para fomentar ações formativas e práticas pela implementação dos 17 ODS da ONU, especificamente recursos para implementação de um projeto que visa a universalização do saneamento ambiental da comunidade local. Pretende-se desenvolver um projeto protagonizado por jovens da região, onde o objetivo será a construção de bacias de evapotranspiração (fossas ecológicas) para todas as casas da comunidade.

A boa prática compõe o Eixo Cultura para a Sustentabilidade do PCS, que prevê o desenvolvimento de políticas culturais que valorizem o pluralismo e a defesa da memória e transmissão de patrimônios materiais e imateriais. A ideia de incluir a cultura entre as dimensões da sustentabilidade prevê seu valor essencial para o planejamento público, considerando que quando falamos em mudanças climáticas e desafios ambientais, estamos tratando sobre profundas alterações no estilo de vida das pessoas. A cultura é um fator necessário à integração entre os diversos setores da administração municipal, e surge como possibilidade de ampliação do espaço público

Cronograma e Metodologia:

2005: Em agosto se inicia o planejamento comunitário do Ecomuseu, a partir das demandas trazidas da Conferência de elaboração Agenda 21 local da comunidade rural do distrito de Cachoeira;

2006: Sob uma gestão compartilhada pelas principais instituições locais, em 12 de Outubro é inaugurado o Ecomuseu de Maranguape;

2011: O projeto se torna parceiro do Programa pela Educação Integral, do Fundo Juntos pela Educação;

2013: Criação da Rede Juntos pela Educação Integral, responsável pela metodologia ‘Museu x Escola’ em Comunidades Educadoras;

2015: Aprovação do Plano Municipal de Educação de Maranguape, contemplando os pressupostos das Cidades Educadoras.

Resultados:

- Criação do Ecomuseu de Maranguape, em parceria com a rede de ensino da cidade;

- Resgate da história local com apropriação por parte da comunidade e integração com os conteúdos escolares, além de formação como monitores em educação patrimonial e multiplicadores do conhecimento na região;

- Formulação de um conteúdo programático com participação da comunidade e que contemple uma proposta de desenvolvimento sustentável, resultando em um Plano Municipal de Educação que considera a ideia de Cidade Educadora;

- Fortalecimento da educação integral no município, com melhora na avaliação do SPAECE 2015 (avaliação anual do Governo do Estado acerca da qualidade das escolas). A escola alcançou nota 170,8, quando em 2007 a nota foi 126,6 estando das 41 escolas avaliadas 34 no pior nível de avaliação;

Instituições envolvidas:

Prefeitura de Maranguape

Fundação do Trabalho Educacional com Recursos Renováveis e Arte (Terra)

Escola Municipal José de Moura

Rede Juntos pela Educação Integral

Contato:

Ecomuseu de Maranguape

Rua João Ramalho Cordeiro, Distrito de Cachoeira - Região Metropolitana de Fortaleza

Telefones: (85) 3374 0039

E-mail: [email protected]

Fontes:

Plano Municipal de Educação de Maranguape[AC1] 

Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano do Município de Maranguape, PDDU

https://portal.aprendiz.uol.com.br/2013/12/18/ecomuseu-se-funde-com-escola-e-comunidade-em-maranguape/

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/regiao/ecomuseu-de-maranguape-resgata-patrimonio-cultural-1.1021777

Galeria de Imagens: 
34
última modificação: qua, 27/03/2019 - 15:31