Início > Boas Praticas > Implantação de ciclovias, faixas e corredores de ônibus: Nova visão para a mobilidade em São Paulo

Implantação de ciclovias, faixas e corredores de ônibus: Nova visão para a mobilidade em São Paulo

São Paulo

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
SP
População (Ano): 
11.300.000 hab.
Ano População: 
2011
Área Total (Ano): 
1.522,98 km²
A gestão municipal da cidade de São Paulo, iniciada em janeiro de 2013, incluiu em seu Programa de Metas onze itens relacionados à mobilidade urbana. O objetivo desse conjunto de metas é melhorar a mobilidade urbana universal, dando prioridade aos meios públicos de transportes e estimulando o uso da bicicleta. As medidas deverão gerar efeitos positivos na qualidade de vida dos paulistanos, com a diminuição da emissão de gases de efeito estufa, redução dos congestionamentos e tempo ganho em locomoção.

Descrição:

Em seu Programa de Metas, a atual gestão municipal de São Paulo priorizou o uso do transporte público e da bicicleta como meio de locomoção. São onze metas relacionadas à mobilidade urbana, entre as quais:
Meta 93 - Projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir 150 km de novos corredores de ônibus;
Meta 94 - Implantar as novas modalidades temporais de Bilhete Único (Diária, Semanal e Mensal);
Meta 95 - Implantar horário de funcionamento 24h no transporte público municipal;
Meta 96 - Implantar 150 km de faixas exclusivas de ônibus;
Meta 97 - Implantar uma rede de 400 km de vias cicláveis;
Meta 102 - Ampliar o Programa de Proteção ao Pedestre atingindo 18 novas grandes avenidas e 14 locais de intensa circulação de pedestres. 

Essa nova visão em relação à mobilidade urbana surgiu, entre outros motivos, para responder ao caos vivenciado no transito, que é provocado pelo grande número de veículos individuais que circulam pela cidade de São Paulo. O estímulo ao transporte público, bem como a utilização da bicicleta como um modal de transporte, segue uma tendência mundial que busca propiciar maior equidade no uso da via pública e melhor qualidade de vida, com ganhos sociais e ambientais. Além disso, a discussão sobre os modais de transporte e a implantação da nova política de mobilidade provocam maior conscientização sobre o tema.

Em setembro de 2014, a Prefeitura de São Paulo já havia superado a meta prevista para implantação de faixas exclusivas de ônibus: implantou 361,2 Km. A meta referente aos corredores de ônibus apresenta 37 km em obras, 62 km em contratos assinados e 26km em licitação. Vale ressaltar que, segundo a pesquisa Rede Nossa São Paulo/Ibope divulgada em setembro de 2014, 90% dos moradores de São Paulo aprovam estas medidas.

Algumas das medidas adotas pela administração municipal mostram que é possível avançar na qualidade do transporte público com intervenções pouco radicais. As faixas e corredores exclusivos aumentam a velocidade dos  ônibus, beneficiando seus usuários. 

Para estimular e ampliar o uso da bicicleta, a Prefeitura começou a investir na instalação e ampliação de ciclovias e ciclofaixas, o que proporciona maior segurança aos ciclistas.

Um dos efeitos da medida é melhorar a saúde das pessoas. Segundo estudo da London School of Economics, pessoas que andam de bicicleta com frequência ficam doentes, em média, apenas 7,4 dias por ano. O índice sobe para 8,7 dias entre as que não utilizam esse modal. Só com essa diferença, há uma economia de quase 128 milhões de libras ao ano para o sistema público de saúde britânico. Este mesmo estudo identifica que a prática do ciclismo rendeu para a economia do Reino Unido cerca de 7,9 bilhões de reais (contabilizando toda a cadeia envolvida no setor de bicicletas – fabricantes, venda de equipamentos e empregos gerados no setor). 

Outras vantagens da bicicleta estão relacionadas ao meio ambiente. Seu uso não gera poluição atmosférica, não tem consumo energético significativo e o nível de ruído é de apenas 15 decibéis. As motos provocam ruidos de 83 decibéis, os ônibus geram 80 e os carros 74.

A meta de 400 Km de vias cicláveis, chamada de Projeto SP 400km, esta em andamento. De acordo com dados do governo municipal, 33% da meta foi cumprida, o que já proporcionou a inclusão do ciclista na paisagem urbana. A pesquisa Rede Nossa São Paulo/Ibope divulgada em setembro de 2014 revela que o número de paulistanos que utilizam a bicicleta como meio de transporte cresceu 50%. Ou seja, em um ano a capital paulista ganhou 86,1 mil ciclistas frequentes - o  período coincide com a ampliação da malha cicloviária da cidade. Outro dado da pesquisa registra que 88% dos paulistanos são favoráveis às faixas segregadas para bicicletas.

São Paulo já conta com cerca de 140 quilômetros de ciclovias implementadas pela Prefeitura. Somados aos 63 quilômetros de vias exclusivas para bicicletas que já existiam, o município conta agora com 204 quilômetros em operação. Além das ciclovias, a cidade conta com ciclofaixas, ciclorrotas e calçadas compartilhadas, somando 279,3 km de infraestrutura cicloviária.

O processo de implantação das ciclovias foi discutido com grupos de cicloativistas. Uma grande demanda do grupo é o acesso seguro para ciclistas em pontes e viadutos sobre as marginais dos rios Tietê e Pinheiros. Em outubro de 2014, a administração municipal fez a  proposta de construir ciclovias e ciclopassarelas em 12 das 28 pontes existentes nas marginais. Outros equipamentos, como bicicletários, paraciclos e placas de sinalização também estão sendo implantados pela prefeitura.

Objetivo:

- Melhorar o transporte público na cidade;

- Reduzir o tempo gasto pelas pessoas em seus deslocamentos, aumentando a velocidade média dos ônibus através da implantação de corredores e faixas exclusivas;

- Conquistar ganhos socioambientais;

- ampliar o número de usuários do modal bicicleta e, ao mesmo tempo, reduzir o número de acidentes em vias onde circulam ciclistas.

Cronograma:

- Em 2013 foi elaborado o Programa de Metas de forma participativa, através de audiências publicas em todas as subprefeituras da cidade. Lançado em agosto daquele ano, o programa priorizou o transporte público coletivo e a implantação da infraestrutura para o uso da bicicleta como meio de transporte.

- Corredores de ônibus: 37 km de obras em andamento, 62 km com obras contratadas e 26 km em licitação. A ampliação do Terminal Itaquera foi entregue em junho de 2014.

- Ciclistas terão faixas exclusivas em 12 pontes nos próximos dois anos. 

Metodologia:

- Elaboração do Programa de Governo pelo candidato a prefeito e, após a eleição, a construção participativa do Programa de Metas, que resultou em 11 metas relacionadas à mobilidade urbana. O transporte publico e o estímulo ao uso da bicicleta como meio de transporte estão entre as prioridades do plano.

- Diretrizes para definição da malha cicloviária: 

• Ligações perimetrais e radiais: constituição de rede estrutural cicloviária 
• Conectividade dos trajetos 
• Linearidade: menor distância possível na viagem 
• Funcionalidade: importância das ligações que proporciona (escolas, praças e etc) 
• Integração modal com transporte de média e alta capacidade 
• Uso da estrutura como meio de transporte 
• Preferências nas ruas secundárias 
• Preferencialmente não eliminar a faixa de rolamento 
• Preferencialmente no lado esquerdo da via
• Preferencialmente bidirecional

- As faixas exclusivas de ônibus constituem uma proposta emergencial para a qualificação do transporte público. São inseridas à direita ou à esquerda da pista, dependendo do local, e apresentam restrições específicas de velocidade, que podem ser diferentes das outras faixas da via. Durante o horário de seu funcionamento, fica proibida a circulação de carros.

- Para a construção dos corredores de ônibus que estão em andamento, os recursos foram obtidos junto ao Programa de Aceleração do Crescimento, PAC - Mobilidade urbana, do Governo Federal, e da contrapartida da Prefeitura Municipal de São Paulo. Os corredores localizam-se à esquerda da pista e possuem paradas maiores.

Resultados:

- Elaboração, com participação da sociedade, do Plano de Metas que prioriza o transporte coletivo e o uso da bicicleta como uma solução viável e sustentável para a locomoção. 

- Maior equidade no uso da via pública, devido à implantação das ciclovias, bem como das faixas exclusivas e corredores de ônibus. 

- Número de ciclistas em São Paulo cresceu 50% em 1 ano. Em 2013, um levantamento apontava que 174,1 mil pessoas usavam bicicletas todos os dias como meio de transporte. Atualmente, esse patamar alcançou 261 mil paulistanos.

- A cidade conta, atualmente, com 5.115 vagas em bicicletários e paraciclos integrados às estações da CPTM e do Metrô, e aos terminais da SPTrans. São 4.923 vagas em bicicletários, que são locais fechados e com zeladorias, além de 192 vagas em paraciclos, que são estruturas que permite apoiar e fixar o veículo não motorizado.

- Inaugurado em agosto de 2014 o  bicicletário municipal, com 102 vagas, no Largo da Batata - na zona oeste da cidade.

- Faixa exclusiva de ônibus: já foram implementados 361,2 km até setembro de 2014.

- 2014: Cidade vencedora do prêmio internacional de transporte sustentável, o Sustainable Transport Award. São Paulo recebeu o prêmio por implantar 150 quilômetros de ciclovias e 460 quilômetros de faixas de ônibus nos últimos dois anos

Instituições Envolvidas:

Prefeitura de São Paulo

Companhia de Engenharia de Tráfego - CET

Fontes:

Ciclovias em SP

Mobilidade em SP: o impacto das novas faixas de ônibus

Viagem de ônibus em faixa exclusiva é meia hora mais rápida que de carro

Mobilize

Pesquisa Ibope

Diretrizes e propostas para o desenvolvimento do Plano de Mobilidade Sustentável de São Paulo

Ciclocidade

Prefeitura da Cidade de São Paulo

Vá de Bike

Secretaria Municipal de Transportes

CET Plano 400 KM

Mapa da infraestrutura cicloviária permanete da cidade de São Paulo

 

38
última modificação: sex, 16/01/2015 - 10:39