Início > Boas Praticas > Tecnologia e Planejamento são aliados da Mobilidade em Campina Grande

Tecnologia e Planejamento são aliados da Mobilidade em Campina Grande

Campina Grande

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
PB
População (Ano): 
410.000 hab.
Ano População: 
2010
Pátio da Rodoviária de Campina Grande
Campina Grande foi a primeira cidade da Paraíba a apresentar um Plano Municipal de Mobilidade Urbana. Como resultado de um planejamento estratégico com metas que valorizam o transporte público coletivo e a acessibilidade, o projeto contou com a participação da comunidade e resultou em melhorias na qualidade de vida de seus habitantes.

Descrição:

A Lei Federal nº 12.587 de 2012 dispõe que todo município brasileiro com população superior a 20 mil habitantes fica obrigado a formular seu Plano de Mobilidade Urbana, caso contrário estando impedido de receber recursos destinados ao tema. Foi a partir dessa obrigatoriedade que no ano de 2014 se iniciou a discussão sobre o Plano de Mobilidade Urbana de Campina Grande, Paraíba. Na ocasião, a cidade já possuía uma população estimada de 400.000 mil habitantes.

Segundo maior município da Paraíba e um dos principais polos industriais e tecnológicos do Nordeste, Campina Grande foi uma das primeiras do Brasil e a primeira do estado a apresentar seu Plano de Mobilidade, incluindo metas que valorizam o transporte público coletivo e a acessibilidade. Em conjunto, as ações resultantes do Plano abarcaram diversos Objetivos Globais para o desenvolvimento de cidades sustentáveis e tiveram efeitos diretos sobre a qualidade de vida da cidade.

Pesquisa do Instituto norte-americano ExpertMarketing selecionou 74 cidades com mais de 300 mil habitantes, entre elas Campina Grande, Brasília, Salvador e Rio de Janeiro, esta com a pior classificação dentre a mostra.

O levantamento destacou o transporte público de Campina Grande, que ficou em primeiro lugar entre os municípios brasileiros e o 29º do mundo, entre os selecionados. A pesquisa se baseou em indicadores como tempo de viagem por distância percorrida, tempo de espera para pegar o transporte público, número de baldeações necessárias em uma única viagem e custo mensal do transporte, considerando o salário médio da população.

E para realizar tantas transformações, a tecnologia foi grande aliada do projeto. O georreferenciamento da região foi fundamental para seu início, que contou com o monitoramento de horários e velocidade média no transporte público, trazendo assim informações sobre o sistema e facilitando a atuação dos gestores. A criação de faixas exclusivas e ciclovias na cidade foi importante na implementação inicial, permitindo aos usuários maior escolha sobre as formas de se locomover, além do sentimento de participação e controle social do processo. Amplamente discutido com a sociedade civil, o Plano de Mobilidade consolidou-se como instrumento de política pública e referência no país, tanto pela execução eficiente, quanto pela incorporação de todos os requisitos estabelecidos na Política Nacional de Mobilidade Urbana.

A primeira medida técnica do novo sistema de transporte foi um projeto piloto de monitoramento das linhas de ônibus existentes na cidade, ainda no ano de 2013. Esse levantamento foi fundamental para localizar as questões prioritárias do município. Em paralelo, a administração realizou uma sequência de licitações dentro da Secretaria de Planejamento que viriam a apoiar a execução do Plano, como instalação de faixas exclusivas para ônibus.

Em fevereiro de 2015 é aprovada na Câmara de Vereadores a Lei Complementar 95/2015, que institui o Plano Diretor de Mobilidade. No decorrer do mesmo ano é estabelecida parceria com a Nokia Maps e em seguida com o Google para georreferenciamento da região. Esse mapeamento digital ofereceu outras ferramentas para o projeto, e em 2016 Campina Grande se tornou a primeira prefeitura do Brasil com parceria institucional com o aplicativo de mobilidade Moovit. Foi ainda a primeira cidade nordestina a instalar painéis de previsão de horários de ônibus. Antes dessa ação, a população precisava telefonar ao centro de atendimento para buscar informações sobre as linhas em funcionamento.

A capacitação dos gestores teve desdobramentos interessantes, como um Laboratório Semafórico desenvolvido internamente na secretaria a partir dos dados fornecidos pelos painéis de previsão de horário. Os custos com semáforos foram reduzidos em 70% em função de suas ações e os gestores locais se apropriaram de informações vitais sobre a cidade. O monitoramento tem ainda outras funções e possibilidades de uso, como a aferição das velocidades médias na cidade.

O ano de 2019 começou com a integração tarifária passando a valer na cidade, o que permite ao passageiro trocar de linha sem necessidade de ir até o terminal final, em um prazo de 60 minutos. Reforçando o planejamento integrado como ferramenta de sucesso na consolidação de políticas públicas, o Plano de Mobilidade de Campina Grande foi a primeira grande ação, que suscitou outras mudanças na visão dos gestores e da população. Em 2017 foi aprovado o Projeto de Lei nº 213/2017, que institui o Planejamento Estratégico de Desenvolvimento Campina 2035.

Depois de ampla discussão com a sociedade civil e o Legislativo local, o PlanMob foi aprovado na Câmara Municipal prevendo ações que valorizem o transporte público coletivo de qualidade, acessibilidade e ações estruturantes e que assegurem uma melhor qualidade de vida à população campinense. O Plano traça estratégias e ações de otimização da mobilidade urbana da cidade pelos próximos 20 anos, além de estabelecer diretrizes para o acompanhamento e o monitoramento da implementação, avaliação e revisão periódica do Plano.

Desenvolvido ao longo de 10 meses, contou ainda com a participação de entidades representativas da sociedade, Comitê Técnico de Mobilidade Urbana de Campina Grande – CTMU, Conselho Municipal de Transportes Públicos e Conselho Municipal das Cidades. Aas ações do Plano serão divulgadas anualmente no seminário “Cidade Expressa”.

O Plano de Mobilidade Urbana do Município de Campina Grande PLANMOB-CG prevê ainda a criação de uma Comissão Municipal de Acessibilidade e a implementação de Projeto de Humanização do centro da cidade com prioridade para o transporte não motorizado. Para além da mobilidade urbana, tema já prioritário na gestão municipal, o projeto que propõe pensar a cidade no horizonte de suas necessidades até o ano de 2035, ampliando o planejamento estratégico para outras quatro áreas: Meio Ambiente, Acessibilidade, desenvolvimento da Feira Central e do Polo Cerâmico da cidade. Reforça-se assim a importância da intersecção de políticas públicas para sua efetiva aplicação e construção de cidades sustentáveis.

Objetivo:

Melhorar a experiência do usuário de transporte público na cidade de Campina Grande, priorizando a construção de elementos de sustentabilidade urbana.

Cronograma e Metodologia:

2013: Monitoramento das linhas de ônibus da região e realização de licitações para serviços de mobilidade

2014: Instauração do Comitê Técnico de Mobilidade Urbana de Campina Grande (CTMU) para estudar as necessidades da cidade

2015:

- Em Fevereiro é aprovada a Lei Complementar 095/2015, que instituiu o Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Campina Grande

- Em Julho é estabelecida parceria com Nokia Maps e em seguida com o Google para georreferenciamento da região

2016: Inserção de dados no aplicativo Moovit, permitindo o mapeamento por parte da população

2017: Desenvolvimento do Laboratório Semafórico da cidade

2018: Aprovação do Projeto de Lei nº 213/2017, que institui o Planejamento Estratégico de Desenvolvimento Campina 2035, ampliando o planejamento estratégico para outras quatro áreas, além da mobilidade: Meio Ambiente, Acessibilidade, desenvolvimento da Feira Central e do Polo Cerâmico

Resultados:

- Redução no tempo de espera pelo transporte público, redução no tempo de deslocamento e melhor percepção dos moradores sobre a mobilidade na cidade

- Redução de 75% nos custos com semáforos

- Melhora na qualidade do ar, com aprovação de 97% dos ônibus urbanos quanto aos limites de emissão estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA

Instituições envolvidas:

Prefeitura de Campina Grande

Google

Nokia

Moovit

Contato:

Superintendência de Trânsito e Transporte Público (STTP)

(83) 33411249

http://campinagrande.pb.gov.br

Fontes:

Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Campina Grande (PLANMOB-CG)

Superintendência de Trânsito e Transporte Público (STTP)

Link da pesquisa do Instituto ExpertMarketing

http://www.jornaldaparaiba.com.br/vida_urbana/campina-grande-tem-melhor-sistema-de-transporte-brasil.html

https://www.portalt5.com.br/noticias/paraiba/2018/7/113894-transporte-coletivo-de-campina-grande-e-o-melhor-do-brasil-segundo-pesquisa

38
última modificação: ter, 12/02/2019 - 16:35