Início > Noticias > Dia de Ação Global pela Agenda 2030 é nesta terça-feira

Dia de Ação Global pela Agenda 2030 é nesta terça-feira

No Brasil, Grupo de Trabalho da Sociedade Civil que acompanha os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável divulgará Relatório Luz 2018 com  foco nas Eleições 2018 

Esta terça-feira (25/9), marca os três anos adesão dos 193 países Estados-Membros da ONU que assinaram a Agenda 2030 e aderiram aos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). No Brasil, o Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda2030) promoverá ações focadas na divulgação dos ODS no país nas mídias sociais, com um tuitaço e divulgação das recomendações do Relatório Luz 2018, com foco nas Eleições 2018.

Todo ano no aniversário deste dia histórico, a Campanha de Ação dos ODS (#Act4SDGs) mobiliza ao redor do mundo a ONU, governos locais e nacionais, instituições e organizações de todos tipos, a mídia, grupos da sociedade civil, cidadãs e cidadãos para uma iniciativa global em prol dos ODS. Neste ano, a data coincide com a abertura do Debate de Alto Nível da 73ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (UNGA 73).

ODS ー Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda integral com propostas, metas e indicadores nos campos sociais, ambientais e econômicos que visam a acabar com a pobreza, reduzir desigualdades, proteger o planeta e garantir que todas as pessoas desfrutem da paz e tenham prosperidade. Os ODS são interconectados e universais, pois se aplicam a todos os países, sob a promessa de “não deixar ninguém para trás”. Para que os objetivos sejam cumpridos, é preciso que todos façam sua parte: a ONU, os governos locais e nacionais, instituições e organizações de todos tipos, a mídia, grupos da sociedade civil, e pessoas como você e nós.

Como participar ー Comércios, governos locais e nacionais, organizações, universidades e qualquer indivíduo trabalhando para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estão convidados a participar do dia de Ação Global em prol dos ODS. O GT Agenda 2030 promoverá um tuitaço entre às 17h e 18h da terça-feira, 25 de setembro, para divulgar dados sobre os ODS no Brasil com o uso das hashtags #Act4SDGs, #EuApoioODS, #NãoDeixeNinguémParaTrás e #Agenda2030.

Relatório Luz 2018 e GT da Sociedade Civil para Agenda 2030 

O Brasil dificilmente cumprirá os ODS acordados por 193 países na ONU. O alerta é do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para Agenda 2030 que elaborou o Relatório Luz 2018 sobre o avanço da Agenda 2030 no país. O documento analisou os 17 ODS e elaborou um diagnóstico, além de recomendações para reverter a atual situação e alcançar a meta até o ano de 2030 avanço da Agenda 2030 no país.

O GT da Sociedade Civil para Agenda 2030 analisou 121 das 169 metas que compõem os 17 ODS e produziu seu Relatório Luz 2018, documento preparado por especialistas do GTSC A2030. Por apontar recomendações sobre os desafios identificados, o documento é chamado de Relatório Luz.

O lançamento do Relatório Luz 2018 ocorreu em julho, em Brasília e em primeira mão no Brasil e foi levado ao Fórum Político de Alto Nível da ONU – encontro da instância responsável por acompanhar os avanços da Agenda 2030 realizado entre os dias 9 e 18 de julho em Nova Iorque, com a participação dos Estados Membros da ONU e de representantes da sociedade civil. 

O Relatório Luz 2018 traz dados preocupantes, especialmente em tempos de tensões sociais, políticas e econômicas no país, comprovando a tendência já anunciada em 2017, de que no ritmo atual o Brasil dificilmente alcançará as metas com as quais se comprometeu.

O documento destaca a baixa adesão dos poderes executivo e legislativo aos ODS e ressalta que a flexibilização das leis trabalhistas e a aprovação da Emenda Constitucional 95/2016 são símbolos irrefutáveis do descompromisso atual. Mostra, entre outros aspectos, que os orçamentos de políticas e programas importantes para a sociedade e para o meio ambiente estão menores ou zerados, enquanto crescem o endividamento público, a pobreza e a fome. Os abismos sociais entre ricos e pobres se aprofundam, consolida-se a exclusão história baseada em raças, etnias, identidade de gênero e orientação sexual; continuam os ataques às Unidades de Conservação, à legislação ambiental.

O Relatório Luz aponta que os índices brasileiros de violência e desigualdades seguem entre os maiores do mundo e os problemas intensificam-se à medida em que as lideranças políticas progressistas não conseguem produzir convergências, a sociedade civil é alimentada por fake news e o desmonte dos principais mecanismos de proteção social e ambiental, conquistados ao longo de décadas, avança.