Início > Noticias > Na Suécia, política não é profissão e sim oportunidade de servir comunidade

Na Suécia, política não é profissão e sim oportunidade de servir comunidade

Sistema político sueco e sua comparação com o modelo brasileiro são temas da entrevista de Jorge Abrahão e Oded Grajew à Rádio CBN

É possível fazer política de forma diferente! Essa foi a mensagem da entrevista que o coordenador-geral do Programa Cidades Sustentáveis, Jorge Abrahão, e o presidente do Conselho Deliberativo da Oxfam Brasil, Oded Grajew, deram à Rádio CBN. 

Iniciada com dados que revelam a pouca confiança que os brasileiros têm atualmente nas instituições políticas, a entrevista, que foi ao ar neste domingo (24/6), abordou o sistema político da Suécia, comparando-o com realidade do Brasil. 

Oded Grajew esteve recentemente naquele país europeu (em abril), a convite do governo sueco, conhecendo com mais detalhes as razões que levam a Suécia estar entre os primeiros colocados no mundo nas áreas social, econômica ambiental e ética. 

Lá, a política não é vista como profissão, mas como oportunidade de servir a comunidade. Vereador não recebe salário, cada partido tem direito a apenas quatro assessores para atender a todos os integrantes da bancada e as mordomias são mínimas. Não existe foro privilegiado, aposentadorias especiais etc. 

“Deslizes éticos não são aceitos: só a suspeição já é uma vergonha, fazendo que o político peça demissão”, explicou Grajew. 

Na Suécia, o político não é autoridade e não está acima do cidadão.

Falando sobre a campanha “Um novo Congresso”, que está sendo promovida aqui no Brasil, Jorge Abrahão destacou a importância do voto e da pressão da sociedade para que o Congresso Nacional e os políticos brasileiros sejam de fato representantes dos desejos e anseios da maioria da população. 

Confira aqui a entrevista de Oded Grajew e Jorge Abrahão à Rádio CBN.