Início > Noticias > Prêmio Cidades Sustentáveis tem como foco a redução das desigualdades

Prêmio Cidades Sustentáveis tem como foco a redução das desigualdades

As inscrições para a terceira edição do Prêmio Cidades Sustentáveis estão abertas. Neste ano, serão contempladas boas práticas de políticas públicas municipais que sejam bem-sucedidas e inovadoras na redução das desigualdades, com resultados concretos e mensuráveis em três categorias: Desigualdade econômica (foco em gênero e raça); Acesso a serviços (Saúde, Educação e Infraestrutura); e Acessibilidade.

Mais sobre o Prêmio Cidades Sustentáveis

O Prêmio é realizado pelo Programa Cidades Sustentáveis e pela Oxfam Brasil, com apoio do CITinova e Fundação Ford, e tem como parceiros a Associação Brasileira de Municípios e Frente Nacional de Prefeitos.

“Esse é um prêmio muito importante porque estimula as cidades a adotarem práticas que contribuam para a redução das desigualdades no país. Os grandes centros urbanos têm que ser protagonistas nesse esforço coletivo já que uma grande parte da população brasileira vive nas cidades. Nós da Oxfam Brasil estamos muito orgulhosos de participar dessa premiação, que é uma iniciativa da sociedade civil para alimentar o urgente e necessário debate sobre desigualdades, e buscar soluções para esse grande desafio nacional”, afirma Katia Maia, diretora executiva da Oxfam Brasil.

Podem inscrever Boas Práticas os municípios signatários do Programa Cidades Sustentáveis. A cerimônia de premiação ocorrerá em setembro, no âmbito da segunda edição da Conferência Internacional Cidades Sustentáveis.

Para saber mais, acesse o site do Prêmio Cidades Sustentáveis 2019.

Contexto

A desigualdade é um problema que não está limitado à distribuição de renda; está presente no acesso a serviços básicos de saúde e educação, na oferta de equipamentos e em muitas outras áreas como transporte, segurança, habitação e acessibilidade. Elas impactam, sobretudo, a vida da população negra, das mulheres e de outros grupos sociais invisibilizados e mais vulneráveis.

Por isso, a importância do enfrentamento à desigualdade na esfera pública e a necessidade de políticas que priorizem os investimentos nos locais que mais precisam de recursos.

A Oxfam Brasil divulgou a pesquisa “Nós e as desigualdades”, realizada em parceria com o Datafolha, sobre a percepção de brasileiras e brasileiros acerca do tema. O estudo destaca que “8 em cada 10 brasileiros acreditam que não é possível progresso sem redução de desigualdades”.

Histórico

A primeira edição do Programa Cidades Sustentáveis foi realizada em 2014 e teve como objetivo estimular gestores e gestoras públicos para a criação, manutenção e atualização de observatórios em seus respectivos municípios. Estes observatórios contavam com indicadores, programas de metas e informações relevantes sobre políticas públicas voltadas à qualidade de vida e ao desenvolvimento sustentável para, assim, reconhecer e valorizar experiências bem-sucedidas.

Já a segunda edição, em 2016, foi voltada para boas práticas de políticas pública municipais com os seguintes enfoques: Bens Naturais Comuns; Criança; Cultura; Educação para a Sustentabilidade; Esporte; Governança; Mobilidade; e Saúde.